Escola de Massagem Shantala

Saúde

ALONGAMENTOS

       Para que se alongar, afinal de contas? Você já parou para observar os animais, em especial os felinos, famosos por sua agilidade? Animais sabem, instintivamente, que alongamentos são essenciais à manutenção de uma musculatura sadia. É por isso que devemos também alongar-nos.
Quando crianças sabemos disso sem que ninguém nos conte. Ao acordar, ou mesmo antes de dormir, espreguiçamos nossos corpos, para que nossos músculos se preparem tanto para o movimento, quanto para se livrar de tensões e poder descansar adequadamente. O alongamento é fundamental nas duas situações.
Alongamentos ajudam a melhorar o espaço interno nos músculos, afastando as fibras musculares. Esse espaço extra, permite uma melhor circulação sangüínea entre as fibras, e o músculo pode receber nutrientes e oxigênio suficientes, se livrando de toxinas e de dores, estando pronto para realizar seu trabalho, qualquer que seja.
Ao acordarmos, por exemplo, o alongamento “desperta” a musculatura antes que ela comece a ser exigida pelas diversas tarefas que nos aguardam. Isso aumenta, sem dúvida, a disposição para começar bem o dia. Antes de começar qualquer exercício, e em especial os mais extenuantes, como a aplicação de uma massagem terapêutica num paciente, o alongamento prepara nossa musculatura para o trabalho.
Depois de realizar qualquer tarefa, ou depois de um longo dia repleto de atividades, alongar-se significa livrar a musculatura das tensões acumuladas. No caso de exercícios físicos, o alongamento posterior auxilia no relaxamento de grupos musculares que tenham sido muito exigidos, evitando acúmulo desnecessário de ácido láctico e conseqüentes dores. Ao final do dia, alongar-se antes de ir para a cama, deixa a musculatura pronta para uma boa noite de sono.

A MAGIA DE SE ESPREGUIÇAR

       Mais de um aluno já me disse que não sabia o que fazer para se alongar. Na verdade, todo mundo sabe. É possível que a maioria não se dê conta, mas espreguiçar-se é o alongamento instintivo, já nasce com o ser humano. Acontece que a maioria das pessoas tem vergonha de se espreguiçar em público. O que os outros vão pensar? Que sou louco, possivelmente. É provável que pensem mesmo. Então, você pode escolher: ser um louco “alongado” ou um “normal” tenso. Certo, falar é fácil. Quero ver fazer! Então ao menos considere a seguinte possibilidade: em lugares fechados, não haverá uma multidão pronto a julgá-lo. Exemplo: na sala de aula. Se um colega o julgar mal por vê-lo espreguiçando-se, provavelmente ainda não entendeu o que vem estudando. Em casa, então, nem se fala. Se resolver se alongar ao acordar e antes de ir para cama, é possível que esteja sozinho. Se não estiver, estimule seu companheiro de quarto a espreguiçar-se também. Exercícios em dupla, em geral, são mais estimulantes.

APRENDENDO A VER

       Nas aulas teóricas falamos muito em observar. É preciso ser observador para ser um bom profissional. Mas ser observador também é muito útil no nosso dia-a-dia. Basta assistir a uma partida de futebol ou de vôlei e lá estarão os atletas, nas mais variadas posições, se alongando e se aquecendo para entrar em campo. Também em competições de natação, vemos os nadadores com os braços por detrás da cabeça, em direção às costas, pressionando com a outra mão sobre o cotovelo. É o velho e bom alongamento do nadador, muito útil para quem usa bastante os braços, como nós massagistas.
Como ficamos muito tempo de pé, também é importante alongar as pernas. Quem nunca viu alguém, perto de algum parque ou pista de corrida, de pé, segurando o pé próximo ao glúteo, com o braço apoiado em alguma parede ou mesmo um banco próximo? Este simples exercício prepara a musculatura da coxa para suportar cargas pesadas, como numa corrida. Outra coisa simples de fazer é colocar a ponta do pé numa parede, de frente, com o joelho reto, levando todo seu corpo em direção à parede: sua panturrilha pode doer na hora, mas depois agradece.

QUALQUER UM PODE

       Ninguém precisa ser especialista em alongamentos para evitar lesões musculares. Lesões ocorrem quando a musculatura não está pronta para o que precisa fazer, por falta de aquecimento e de alongamento, por excesso de tensão muscular ou até mesmo por falta de líquidos em quantidade adequada no corpo. É muito importante estar devidamente hidratado antes de começar qualquer exercício físico.
Para aquecer-se, uma pequena caminhada já é suficiente. Para alongar-se, os movimentos típicos do espreguiçamento funcionam como uma boa base. Se não é o ideal, com certeza é melhor do que nenhum alongamento. Também se deve tirar da cabeça a idéia de que apenas atletas devem alongar-se. Se você se movimenta, já tem motivos suficientes para fazer alongamentos.
Para nós, massoterapeutas, a vantagem de estudar mais profundamente sobre alongamentos é a possibilidade de orientar melhor nossos pacientes, o que colabora para um melhor resultado no tratamento. Cito como exemplo uma amiga minha, moradora de Pelotas. Como a distância nos impede de manter um tratamento adequado, pela Internet vou passando a ela exemplos de alongamentos para minimizar efeitos da musculatura contraída sobre seus problemas de coluna já existentes. Não resolve, mas ajuda.

DESFAZENDO UM MITO

       Não pense que apenas pessoas sedentárias podem ter problemas musculares, articulares ou de coluna. Em alguns casos, os atletas são ainda mais propensos a desenvolverem problemas por um simples fato, o excesso de exercícios. Se não se mexer é um problema, mexer-se além da capacidade de cada corpo é um problema sério.
Até onde se sabe a maioria dos atletas respeita as duas necessidades básicas do movimento, o aquecimento e o alongamento. Mesmo assim, vemos jogadores de futebol saírem de campo carregados por macas, não raro com estiramentos na coxa. É culpa, em geral, do velho e maldoso “carrinho”. Além de ser um perigo iminente de fratura para a vítima, é uma boa possibilidade de estiramento para quem o pratica, pois a musculatura, mesmo aquecida, é levada além do limite do bom senso. Nesse caso, o estiramento deve ser um castigo dos deuses do esporte.


NÃO ESPERE SENTADO

       É melhor se mexer, sem trocadilhos, se você pretende entender alguma coisa a respeito de alongamentos. No site da Livraria Saraiva, onde costumo pesquisar sobre livros, encontrei 14 opções de livros sobre alongamentos, com preços que variam de R$ 31,00 a R$ 198,00. Tem todo o tipo de livro, desde aquele que apenas mostra exercícios a serem feitos, até aqueles que explicam que cadeias musculares são ativadas durante tal exercício e suas possíveis variações. No nosso caso, um livro mais completo torna-se mais útil para aplicar nos tratamentos, mas um básico (e barato) é melhor que nada.
Fiz contato com amigos que fazem Educação Física na UFRGS, para ver o que se recomenda de leitura sobre alongamentos. Assim que obtiver essa informação, edito o texto e coloco no ar.
O fato é que, independentemente do que você resolva ler, é preciso também praticar. Ficaria muito estranho se você recomendasse um alongamento que você nunca fez a um paciente e ele te pedisse: me mostra como faz? Imagina a situação! Além disso, como recomendamos na apostila do curso de massagem, praticar alongamentos e exercícios significa ter mais disposição na hora do atendimento.
Como eu sempre digo, pense nisso, e aproveite para se esticar enquanto pensa.

Professor Wladimir Evangelista







Rua Vigário José Inácio, 481 - Conj. 53 - Centro - Porto Alegre - RS.
Copyright 2010© Escola Shantala. Todos os direitos reservados.